SPRING: Anotando Valores do Retângulo Envolvente

1
Anotando Valores do Retângulo Envolvente Através de outros SIG’s

O número de usuários interessados em utilizar o SPRING cresce de forma exponencial e não são poucas as pessoas que passam por aqui com o intuito de obter alguma dica para o SIG do INPE. Um dúvida que persiste na cabeça das pessoas é acerca dos valores do Retângulo Envolvente. Muitos desanimam nessa hora e acabam desistindo do aprendizado no meio do caminho devido à falta de experiência com o aplicativo.

A verdade é que o SPRING deveria possuir um assistente de importação de dados espaciais baseado em informações georreferenciadas exatamente como o GRASS. Não seria necessário informar a projeção: ao apontar para o local do disco que contém a informação georreferenciada, o algoritmo seria capaz de identificar automaticamente a projeção e o retângulo envolvente como é feito no GRASS, Kosmo, MapWindow e outros SIG’s.

Não vejo problema algum em utilizar dois ou mais softwares GIS no computador. Quando um aplicativo possui uma certa limitação, o ideal é recorrer a outro. Possuir um GIS que seja capaz de realizar tudo é o mundo ideal. Enquanto o mundo ideal não é implementado, vamos seguindo no mundo real mesmo, utilizando outros programas simultaneamente com o SPRING. Se um usuário instala o GRASS, gvSIG, Kosmo e o Quantum GIS, entre outros, não vai chegar a ocupar mais de 1 GB de dados no seu disco rígido. Vale a pena o investimento.

No MapWindow, com dois cliques você obtém os valores do Retângulo Envolvente (Bounding Box). É tão fácil que chega a ser chato: basta clicar com o botão direito do mouse sobre a camada selecionada e acessar as propriedades do arquivo. Os primeiros campos correspondem aos valores do Retângulo Envolvente daquela feição:

No MapWindow, Min X corresponde ao X1 do SPRING; Max X corresponde ao X2 do SPRING. Você pode brincar de copiar valores RE para qualquer feição nesse SIG.

No Kosmo, a aventura é semelhante ao MW: clicando com o botão direito do mouse sobre a camada selecionada, você tem acesso ao menu configuração avançada, função propriedades do layer. São os mesmos valores interpretados pelo MapWindow:

O GRASS é o mais charmoso de todos: ao utilizar o assistente de criação de um novo Location, você deve marcar uma instrução chamada “Ler projeção e datum de um arquivo georreferenciado”. Essa  é opção que serve como sugestão de melhoria para futuras versões do SPRING mencionada no início do post:
Em seguida, basta apontar para o arquivo georreferenciado e confirmar a criação da nova Region. O GRASS faz o resto. Confira as posições geográficas obtidas no Kosmo e no MapWindow:
Missão cumprida com sucesso! 

Esqueci de mencionar um detalhe: você também pode obter valores do Retângulo Envolvente através das propriedades da camada no ArcMap:

No ArcMap, além da feição selecionada, você pode anotar as coordenadas que envolvem o projeto:

Eu considero fundamental estudar econhecer conceitos de outros SIG’s. Não faz mal algum, assim comoinstalar dois Sistemas Operacionais no computador. Pode ser um desafiointeressante, mesmo que para isso um deles seja executado através demáquinas virtuais como o VM Ware ou VirtuaBox. No momento estou sem oLinux aqui, mas já experimentei, aprovei e agora possuo opinião bemestruturada sobre o “outro lado”. Reconheço que essa experiência me fezmuito bem e passei a respeitar melhor as tecnologias livres.

DEIXE UMA RESPOSTA