ArcGIS 9.3: Manual Técnico para Georreferenciamento de um arquivo DGN do IBGE

4

Sobre a Utilização de Dados DGN

Os dados provenientes das cartas topográficas ainda são informações muito requisitadas atualmente. Durante a digitalização, apenas algumas curvas receberam os valores de elevação. Para uma grande quantidade de folhas topográficas, a edição manual desses valores é uma tarefa trabalhosa. Com este script, a etapa de edição será parcialmente automatizada.
O plugin CalcContour permite preencher de forma semiautomática os valores das cotas na Tabela de Atributos do ArcGIS. Os procedimentos para instalação do script CalcContour foram documentados em vídeo e estão disponíveis para download neste documento.

Limitações do Formato DGN

As curvas de nível digitalizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) foram geradas a partir de folhas rasterizadas e arquivos provenientes de impressoras off-set. Por esta razão, as feições são fragmentadas em partes, pois obedecem ao critério de separação/mistura de cor do dado original (lâminas CMYK, onde C = Ciano; M = Magenta; Y = Yellow; K = Preto).
Após a digitalização, os dados foram tratados em ambiente CAD (Computer Aided Design ou Desenho Assistido por Computador). Na época, este era o aplicativo disponível no órgão para edição de dados vetoriais. Portanto, os arquivos DGN do Microstation possuem questões comuns a todas aplicações para CAD. Segue abaixo a relação das principais limitações:

  • Unidades em quilômetros (km);
  • Sistema Planar de Coordenadas (X e Y) com Projeção Arbitrária (sem definição);
  • Descontinuidade das feições nas bordas das folhas;
  • Valores da elevação inseridos nas anotações (ausência da elevação nas cotas dos arquivos);
  • As feições que representam as isolinhas estão em partes simples (deveriam ser multipartes).

Limitações do Script CalcContour

Alguns passos devem ser observados durante a edição das curvas, pois o complemento CalcContour pode apresentar inconsistências durante sua utilização. As principais limitações da ferramenta são estas:

  • Complemento de difícil instalação;
  • É preciso criar um campo na tabela para receber os novos valores de elevação;
  • É preciso transformar partes únicas em multipartes para que o programa reconheça as cotas;
  • O plugin funciona somente no ArcGIS 9.x. Versões 10 do SIG devem ser desconsideradas.

Download do Manual

Escolha um dos formatos abaixo:

Sobre a utilização de Malha Topográfica DGN

Vale a pena trabalhar com esse mapeamento no formato DGN? Podemos assegurar que sim, pois independente dessa sequência de ajustes preliminares, este mapeamento ainda pode ser útil em alguns projetos. Alguns locais do Brasil ainda possuem um grande déficit cartográfico e esse ajuste semiautomático pode reduzir o processo de refinamento dos dados.


Dúvidas e sugestões podem ser enviadas para o e-mail contato@processamentodigital.com.br

4 Comentários

  1. Caro Jorge voce saberia aonde eu poderia baixar o ARCGIS 9.3 ? Gostaria mto de aprender e me desenvolver na area de Geoprocessamento ambiental e creio que aprender a manusear este software seria de grande ajuda

  2. Tenho me interessado muito com os teus artigos de ARCGIS, mas infelizmente eu não tenho esta grande ferramenta, Estou neste momento a treinar QGIS (Quantum Gis). Continua a mandar, pode ser que um dia conseguirei ter O ARCGIS,

DEIXE UMA RESPOSTA