A arte de encarar novos desafios

0
“Da nossa vida, em meio da jornada,
Achei-me numa selva tenebrosa,
Tendo perdido a verdadeira estrada. ”

Assim começa a jornada de Dante Alighieri pelos três mundos. Muitas coincidências se reservam dessa narrativa com momentos de nossas vidas, seja pessoal ou profissional. Em um momento estamos percorrendo nossas estradas, indo atrás de nossos objetivos em nossas vidas rotineiras, mas de repente sem motivo aparente, despertamos de um sono profundo e nos encontramos em uma região desconhecida na dita selva tenebrosa dos versos acima, que representa a entrada do mundo inferior, ainda segundo a narrativa, três feras: a loba, o leopardo e o leão se põe postas a despedaçar e devorar o viajante que lá se encontra, logo não há opção de voltar de onde veio e não há a opção de escolher qualquer outro caminho senão o de percorrer o mundo inferior adiante pelo portal com os dizeres “deixai toda esperança, vós que entrais”, e assim iniciar uma jornada épica atravessando o inferno, o purgatório e o céu.

Tal como o primeiro canto da divina comédia, a contextualização de nos percebermos em situações desconhecidas e desfavoráveis podem parecer aterrorizantes e nos deixam sem saber o que fazer, tornando-as indesejáveis para a maioria das pessoas, mesmo assim quase sempre acabam aparecendo em nossas vidas, então porque nos deparamos com frequência com algo assim?

Joseph Campbell escreveu em seu livro “Herói de mil faces” as etapas da jornada de qualquer herói, entre elas uma chama bastante atenção, o chamado de aventura, uma situação ou acontecimento que nos retira do estado de status quo e que modificará permanentemente as nossas vidas. Então passamos pelo primeiro limiar e nos defrontamos com caminhos de provas e testes até conseguirmos nosso triunfo e retornarmos em um novo patamar de status quo. Se buscamos algo grande para nós, coisas além do trivial, iremos nos deparar com essas situações adversas, pois fazem parte da jornada. Também temos a opção de tentar ignorar e recusar o chamado, mas isso não irá trazer benefício algum a nós, e esse ponto pode resumir a jornada de um herói em uma frase:

“A caverna que você tem medo de entrar guarda o tesouro que procura. ”

Cada um de nós recebe o chamado de aventura para termos a oportunidade de nos tornarmos os heróis de nossas vidas. Entretanto, não estamos sozinhos nessas jornadas, assim como Dante recebe auxílio de força de sua amada Beatriz e tem como guia o poeta Virgílio, contrastando fé e racionalidade, temos também acesso à ajuda através de ferramentas, livros, amigos…

Há algumas recomendações que têm sido úteis para mim e para várias pessoas que enfrentam novos desafios constantemente, que podem ser separadas em três grupos. No primeiro, literaturas clássicas que abordam a coerência do pensamento racional com as ações; no segundo, recomendações de propósito de vida guiando o campo dos pensamentos; e por último leituras para o campo das ações transformadas em hábitos:

Coerência na forma de pensar e agir:

Os diálogos de Sócrates, Críton (sobre dever) e Fédon (sobre a imortalidade da alma) são clássicos que abordam a importância da coerência na linha de pensamento de cada indivíduo, transformando suas ações. No Fédon existe o contraste de fé e racionalidade, quando Sócrates, através do pensamento racional, conclui a existência de uma alma imortal.

Propósito de vida:

Viktor Frankl, em seu livro “Em busca de sentido” discorre sobre a necessidade de um propósito maior para cada um de nós, relatando sua própria história em um campo de concentração durante a segunda guerra mundial. Essa é a definição moderna de propósito de vida e merece uma atenção especial, mas porque precisamos de um propósito, se não estamos em um campo de concentração?

Em matérias da Forbes o assunto, propósito de vida, costuma ser frequentemente abordado, deixo aqui alguns links de matérias que valem a pena ler:

Estudos dizem que saber o seu propósito de vida pode ajudar a viver mais.

A matéria de Amy Morin, psicoterapeuta e autora do “13 coisas que pessoas mentalmente fortes não fazem”, mostra resultados e descobertas de pesquisas que apontam que criar uma vida que vale a pena ser vivida, não só influencia na qualidade da vida mas também no tempo de vida.

Por que você deve construir uma carreira que se alinhe com o seu propósito de vida.

De acordo com a matéria de MeiMei Fox, autora bestseller do New York Times, quando você alinha o seu trabalho com o seu propósito além de viver melhor e produzir mais, com uma qualidade superior, com a descoberta desses elementos de alegria é possível também contagiar o ambiente de trabalho, fazendo com que mais pessoas se sintam bem e ajudando a motivá-las.

Seis jeitos de descobrir o seu propósito de vida.

Para quem precisa de um ponto de partida, essa matéria já dá um bom embasamento. Em tradução, os seis jeitos são:

  1. Crie um quadro de visão
  2. Siga os seus hobbies
  3. Repare sobre o que você posta
  4. Faça o seu dever de casa
  5. Seja um tagarela
  6. Trate sua vida como uma aventura ousada
Hábitos:

Charles Duhigg, repórter do new york times, após pesquisar sobre os hábitos das pessoas publicou um livro chamado “O poder do hábito”, que destrincha todos os mecanismos que compõem os hábitos de uma pessoa e explica como se utilizar desses mecanismos para introduzir hábitos saudáveis.

Se faltar ideias de quais hábitos começar a implementar, em coluna do Entrepreneur “Make More Happen”, 10 Habits That Will Dramatically Improve Your Life.

O colunista, Travis Bradberry, co-autor de inteligência emocional 2.0 e presidente da TalentSmart, faz uma lista de dez hábitos para melhorar a vida de cada um, segue abaixo a tradução dos dez:

  1. Se afaste de pessoas que degeneram a sua qualidade de vida;
  2. Sem mais celular, tablet ou computador na cama;
  3. Aprecie o aqui e agora;
  4. Entenda que as coisas não são sempre do jeito que você as vê;
  5. Comece, mesmo que você possa falhar;
  6. Se organize;
  7. Comece uma coleção de coisas que ressoam com você;
  8. Faça algo que lembre quem você é;
  9. Diga não;
  10. Mantenha objetivos realistas.

Links para saber mais sobre os livros mencionados:

A divina comédia (Possui uma versão gratuita online, do texto original em italiano e uma versão traduzida em prosa em português);

Herói de mil faces;

Críton (*Possui uma versão gratuita para o aplicativo kindle da Amazon);

Fédon (*Possui uma versão gratuita para o aplicativo kindle da Amazon);

Em busca de sentido;

O poder do hábito.

Ao final, descobrir nosso propósito de vida, além de garantir que vivamos mais e melhor, nos dá a motivação necessária para seguir adiante percorrendo nossos caminhos. E os hábitos são o que nos formam, um meio pelo qual podemos perseguir nosso propósito de vida, segundo James C. Hunter, autor do livro “O monge e o executivo”, todos somos criaturas de hábitos.

“Pensamentos viram ações, ações viram hábitos, hábitos viram caráter e o caráter vira o seu destino.”

Embora esses conhecimentos possam nos dar uma base para enfrentarmos as adversidades dessas jornadas, elas não bastam por si só, precisamos ainda dar o primeiro passo. E certamente sempre temos algo para começar e tesouros para encontrar.

 

 

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA